Análises Games

Análise | Peaky Blinders: Mastermind

  • Compartilhe:
Pop Art SkinsPop Art Skins

Peaky Blinders: Mastermind é um jogo licenciado que se passa antes dos eventos da primeira temporada da série. Estruturado como um jogo de puzzles, funcionando de forma similar a Hitman GO, o título foi desenvolvido pelo estúdio FuturLab e publicado pela Curve Digital.

Antes de mais nada, devo mencionar o seguinte: durante meu tempo com o jogo, levei em conta três fatores para formar minha opinião sobre o game: orçamento, escopo e proposta. O título serve como uma espécie de sobremesa para os fãs da série, entregando 10 missões em sua campanha que lembram bastante uma temporada da produção.

Os Shelbys

Como o jogo é curto, entre 3 a 5 horas de duração, não darei muitos detalhes sobre a história. Em suma, grupos rivais estão tentando tirar Tommy e sua família da “jogada”. Cabe a você investigar os acontecimentos e fazer algo sobre isso.

Como se trata de um produto licenciado, a essência dos personagens e cenários foram mantidas. Como um fã da série, fiquei feliz demais com isso. Todo o trabalho de ambientação e roteiro ficou impecável, lembrando demais o material original. Isso foi possível graças ao envolvimento de Steven Knight, o criador e roteirista da franquia.

No total, você consegue jogar com cada um dos 6 Shelbys: Tommy, Arthur, John, Finn, Ada e Polly. Cada um dos membros da família possui habilidades únicas que devem ser usadas em momentos chaves de cada missão. Por exemplo, Tommy consegue subornar pessoas para que elas realizem ações específicas. Ada consegue distrair os guardas, John consegue usar lamparinas para atear fogo em construções e por aí. Os trejeitos de cada um deles foi transportado pro jogo, garantindo ainda mais autenticidade.

Expandindo o Universo de Peaky Blinders

Como mencionei acima, o principal propósito de Peaky Blinders: Mastermind é trazer uma expansão para o universo da agora franquia. Levando isso em conta, dá pra afirmar tranquilamente que este propósito é cumprido pelo game. Claro que isto não está isento de críticas.

Infelizmente, como também mencionei acima, o jogo tem uma duração curtíssima, não conseguindo se aprofundar nas nuances de cada personagem da trama. Outra questão também é a limitação do aspecto narrativo do título. As cutscenes são um conjunto de imagens estáticas que lembram uma aquarela. Este viés mais artístico adiciona um ar mais sofisticado para a obra, no entanto, ele também sacrifica as expressões faciais e a conexão com os personagens.

Em suma, o jogo não esconde e declara a cada momento que ele foi feito meio que exclusivamente para os fãs da série. Se você já possuir alguma experiência prévia com a saga, certamente vai gostar muito do game. Caso contrário, isso provavelmente não aconteça. O empenho em trazer uma experiência autêntica para os telespectadores da série pode ser visto até na trilha sonora.

O estúdio FuturLab convidou a banda Feverist para compor uma música para o jogo. A banda britânica foi a mesma que criou a trilha sonora para a primeira temporada da série, indicando o nível de importância e cuidado que os devs tiveram com o título.

Mestre dos Planos

Como mencionei acima, a jogabilidade de Peaky Blinders: Mastermind é bem similar a títulos como Hitman GO e Lara Croft GO. Fundamentalmente o game se enquadra no gênero de puzzles. Durante suas 10 missões, você vai precisar coordenar as ações dos personagens de maneira simultânea para cumprir seus objetivos.

Apesar de parecer difícil, os puzzles são bem tranquilos e o jogo possui dois sistemas que tornam tudo muito acessível. O primeiro sistema é o de manipulação de tempo. Caso você faça alguma coisa errada, demore muito para cumprir o objetivo ou seja detectado, você pode voltar no tempo e refazer seu caminho para obter sucesso. O outro sistema é na verdade um modo de dificuldade do game.

Você pode completar toda a campanha com as dicas ativadas. Este recurso facilita demais durante a jornada, afinal, ele deixa em evidência o que você pode fazer para ultrapassar aquele obstáculo. Sendo sincero, só tive um pouco de dificuldade durante a última missão, onde você tem que coordenar as ações da família INTEIRA. Como é uma única pessoa comandando 6 personagens, as vezes você pode se perder um pouco.

Cada missão possui um tempo mínimo para serem completadas, apresentando uma espécie de ranqueamento. Você pode obter o tempo Ouro, Prata ou Bronze. Claro que isso só importa pros jogadores que ligam para troféus. Falando nisso, o título apresenta um único tipo de colecionável, relógios de bolso. Eles são bem fáceis de serem encontrados e geralmente ficam no caminho principal de cada missão. Eu coletei 90% deles sem nem ao menos procurar.

Vale a Pena?

Em suma, se você curte jogos focados em resolução de puzzles e/ou é fã da série, sim, Peaky Blinders: Mastermind vale muito a pena! Com um respeito evidente em relação ao material fonte, o estúdio FuturLab entrega um game licenciado muito competente, servindo como uma extensão interessante para a série. Caso você tenha se interessado pela produção audiovisual, as 5 temporadas estão disponíveis na Netflix.


Para mais informações sobre games, acompanhe a Manual no Facebook, Twitter, Instagram e através de nosso canal no Youtube.

Publicado em 20 de agosto de 2020 às 10:41h.
2020-08-20 10:41:42